Header Ads

Ministro da Educação libera R$ 10 milhões para o Hospital Universitário de Sergipe



Ministro da Educação libera R$ 10 milhões para o Hospital Universitário de Sergipe
(Foto: Victor Ribeiro/ASN)
O governador Jackson Barreto compareceu, na tarde desta segunda-feira, 15, à solenidade de liberação de recursos na ordem de R$ 10 milhões, pelo ministro da Educação, José Mendonça Filho, a serem aplicados na retomada das obras de reforma e ampliação do Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (UFS). O ato ocorreu no auditório da unidade hospitalar e contou ainda com a presença do presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kléber Morais. 

Do total dos recursos, R$ 6 milhões já se encontram na conta da UFS para reiniciar as obras de ampliação do anexo hospitalar, onde vão funcionar os serviços de oncologia e transplantes. O Reitor da UFS, Ângelo Antoniolli, afirmou que nesta terça-feira, 16, o canteiro de obras será instalado e que a obra estará concluída até o final do ano. 

Por sugestão do governador Jackson Barreto, mais R$ 2 milhões dos recursos serão aplicados na retomada das obras de reforma e ampliação da Unidade Materno Infantil do HU. O governador afirmou que, ao se reunir com o reitor Ângelo Antoniolli e a superintendente do Hospital Universitário, Ângela Maria da Silva, para discutir a necessidade de recursos para retomada das obras do HU, ele enfatizou a importância da conclusão da unidade materno infantil, já que o serviço ofertado pelo Estado não atende a plena necessidade da população.

Os outros R$ 2 milhões restantes serão aplicados na instalação de equipamentos de Raio X Telecomandado, Ressonância Magnética e Hemodinâmica. Os equipamentos já se encontram em poder do hospital aguardando a conclusão das obras para serem instalados. 

O governador agradeceu ao ministro Mendonça Filho pela liberação dos recursos, destacando a importância das obras para melhorar a atenção e assistência da saúde no estado. Ele também relatou que foi colega do ministro e do seu pai, José Mendonça, quando foi deputado federal, tendo mantido uma relação de amizade com ambos. 

De acordo com o governador, a partir da conclusão dessas obras, a população carente vai dispor de mais unidades ofertando serviços no tratamento oncológico, de transplantes e na atenção materno infantil. 

“Essa é uma conquista de todos e quem ganha é Sergipe. O Hospital Universitário é também o grande campo de estágio dos cursos da área da saúde. A saúde do nosso estado é quem está ganhando com esses recursos”, enfatizou Jackson Barreto, acrescentando que solicitou ao senador Ricardo Franco que sensibilizasse o ministro no sentido de liberar esses recursos. “Eu liguei para o senador Ricardo Franco para que ele interferisse junto ao ministro da Educação na liberação desses recursos, de grande importância para nosso sistema de saúde. Quando a unidade Materno Infantil estiver pronta, vai ajudar a desafogar as demais maternidades, o que será bom para a saúde pública, para as mães que serão atendidas e para as crianças”. 

O ministro Mendonça Filho afirmou que seu maior compromisso é trabalhar pela educação e garantir uma educação de qualidade em todos os níveis de ensino. “Estamos garantindo obras relevantes para a formação dos profissionais da área de saúde e, ao mesmo tempo, ampliando o atendimento à população carente”, ressaltou. 
Orçamento 

O ministro desmentiu notícias que vêm sendo veiculadas nas redes sociais de que haverá um corte de 45% no orçamento do Ministério da Educação em 2017. Conforme Mendonça Filho, existe uma grande confusão com relação às informações. “Alguns propagam essa informação por má fé e outros por desinformação. Orçamento não quer dizer recursos financeiros. Assumimos o Ministério da Educação com R$ 6,4 bilhões de cortes no orçamento pelo governo anterior. O presidente interino Michel Temer autorizou o descontigenciamento de R$ 4,6 bilhões, por isso que estamos retomando várias obras, inclusive as do Hospital Universitário de Sergipe”, enfatizou.  

O ministro explicou ainda que a confusão que está ocorrendo com relação ao Orçamento de 2017, é por que alguns estão comparando com o Orçamento de 2016 sem levar em conta os R$ 6,4 bilhões de contingenciamento imposto pelo governo anterior. “Prefiro um orçamento mais realista e que os recursos sejam liberados na sua quase totalidade a um orçamento que seja contingenciado. Posso garantir que a execução financeira de 2017 não será inferior a de 2016”, afirmou. 

Ele também afirmou que respeita a divergência de pensamentos e ideias, mas entrará em qualquer universidade para defender o ensino de qualidade. “É preciso ter um comportamento democrático, plural e respeitoso. É importante saber protestar, mas também saber ouvir. A universidade é uma casa acadêmica e plural. Não existe espaço para dominação. Atuo em favor e na defesa da educação básica, em parceria com estados e municípios, pela educação técnica e tecnológica e em defesa do ensino superior. Quero agradecer o carinho de todos e a parceria para melhorar a educação como um todo”, concluiu. 

O reitor da UFS, Ângelo Antonielli, agradeceu ao ministro, ao governador e a bancada federal sergipana pela liberação dos recursos que possibilitarão a retomada das obras no Hospital Universitário de Sergipe. Ele disse que, a partir do próximo ano, o HU vai oferecer tratamento oncológico e fazer transplantes. Também vai colocar em funcionamento a primeira Unidade Materno Infantil da UFS. 

Leitos

Para ele, esses investimentos vão colocar a Universidade Federal em uma nova etapa. “Vamos ampliar a nossa assistência a uma população carente. Os nossos pacientes são quase 100% do SUS. Além disso, nossos alunos e professores disporão de unidades equipadas, ampliadas e aparelhadas para melhor desenvolver suas tarefas”, acentuou. 

O reitor disse que quando finalizada, a Unidade Materno Infantil abrangerá 117 leitos e terá capacidade para realizar 300 partos mensais. O prédio contará com oito leitos de UTI Neonatal, oito leitos de UTI adulto, seis leitos de UTI pediátrica, 67 leitos de enfermaria, 20 leitos de berços (Programa Rede Cegonha) e oito vagas em berçário de alto risco. Ele também informou que quando o anexo hospitalar for concluído, vai oferecer 51 novos leitos, sendo 26 enfermarias, 16 para quimioterapia, seis para diálise e três para transplante.
Presenças

Compareceram à solenidade, os senadores Eduardo Amorim, Antônio Carlos Valadares e Ricardo Franco, o secretário de Educação do MEC, Marcos Viegas, o prefeito João Alves Filho, a senadora licenciada e secretária da Prefeitura de Aracaju, Maria do Carmo Alves, o chefe geral da Embrapa, Manoel Moacir Costa Macedo, reitor da Unit, Joubert Uchôa, o Reitor do Instituto Federal de Educação, Airton Ribeiro, o secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, a superintendente do Hospital Universitário de Sergipe, Ângela Maria da Silva, o presidente da Sociedade Médica de Sergipe, Aderval, a presidente do Conselho Regional de Medicina, Rosa Amélia Andrade Dantas, o presidente do Sindicato dos Médicos de Sergipe, João Augusto, a secretária da Inclusão, Marta Leão.
 
Fonte: ASN
Tecnologia do Blogger.

NOTÍCIAS ALEATÓRIAS

Recentes